logo
Agência carioca especializada em turismo cultural para melhor idade. Promovemos diversão, conhecimento e integração em nossos passeios. Nossas viagens são mais do que um simples caminhar. Cuidamos de tudo para que, do começo ao fim, você só se preocupe em desfrutar desses momentos.
Ultimas Postagens
(21) 98208-8506
contato@alextourviagens.com.br

NOS SIGA NAS REDES:

(21) 98208-8506
Topo
7 dez

Carnaval carioca nas décadas de 20 e 30: dos banhos de mar à fantasia às batalhas de confete

As décadas de 20 e 30 do século passado são decisivas na história do Carnaval carioca e — por que não? — para a identidade carnavalesca de todo o Brasil. A folia acontecia em clubes como Democráticos, Órfeão Português e Cordão da Bola Preta e as escolas de samba estavam apenas nascendo.

Uma rápida pesquisa nos arquivos do jornal O Globo mostra o glamour do período. Ali encontram-se informações sobre os bailes e desfiles dos clubes sociais. Duas manifestações carnavalescas, no entanto, chamam a atenção: as batalhas de confete e os banhos de mar à fantasia.

Acompanhe, a seguir, um breve relate destes períodos a partir destas duas formas tradicionais de celebrar a festa:

Banhos de mar à fantasia: a roupa “sambava”, literalmente

banhos-de-mar-a-fantasia

Os banhos de mar à fantasia davam a tônica do Carnaval nas diversas praias, com especial destaque à Copacabana, na altura do Posto 6 (foto de autor desconhecido). Os primeiros registros remetem às décadas de 20 e 30, mas é nos anos 1950 que a prática ganha mais força, se espalhando por toda a cidade.  

Na época, as pessoas confeccionavam roupas com papel crepom ou outros materiais “descartáveis”. Costumava-se dizer que, depois de muita folia, a turma entrava no mar e quem sambava era a roupa.

A prática foi reavivada nos últimos anos por algumas agremiações, como você pode ver no vídeo abaixo:

Batalhas de confete: ostentando alegria e expandindo a folia para além do Centro

A “tradicional batalha da Rua Dona Zulmira”, na Tijuca, recebia ampla cobertura nas páginas do Globo nos anos 1930. E esta era uma prática comum em diversos clubes e associações, mas também nas ruas da cidade.

A pesquisadora Helenise Guimarães, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, registrou que essas batalhas “se sobressaiam na paisagem carioca, sendo consideradas elementos de destaque [do Carnaval], tanto por suas características plásticas como pelo forte simbolismo que vinculavam, sobretudo aqueles inspirados em nossa identidade nacional”.

Vários bairros organizavam suas próprias batalhas e chamavam a população para participar. Alguns criavam concursos para premiar as mais belas ornamentações nas fachadas e também as fantasias dos foliões. “Com as batalhas, o carnaval se expandiria além das fronteiras do Centro da cidade, estendendo-se a subúrbios distantes, como Santa Cruz, ou atravessando a Baia da Guanabara, em direção a Niterói”, afirma Helenise.

Para ter uma ideia de como eram os carnavais no Rio antigo, veja as imagens compiladas neste clipe:

Que tal? A animação da época não é inspiradora? Deixe seu comentário!

Comments

comments

Deixe uma resposta:

You don't have permission to register
%d blogueiros gostam disto: