logo
Agência carioca especializada em turismo cultural para melhor idade. Promovemos diversão, conhecimento e integração em nossos passeios. Nossas viagens são mais do que um simples caminhar. Cuidamos de tudo para que, do começo ao fim, você só se preocupe em desfrutar desses momentos.
Ultimas Postagens
(21) 98208-8506
contato@alextourviagens.com.br

NOS SIGA NAS REDES:

(21) 98208-8506
Topo
 

Grande Hotel e Thermas de Araxá

19 fev

Grande Hotel e Thermas de Araxá

A cidade de Araxá, cuja origem é datada de 1780 através de um povoado que abrigava pouso para tropeiros, é a mais antiga no denominado Sertão da Farinha Podre (área do triângulo mineiro e Alto Paranaíba).

Na região o gado era conduzido às águas do Lago do  Barreiro para salitrar e em 1791 foi criada a Freguesia de São Domingos do Araxá e em 1795 foi construída a primeira Igreja Matriz. A igreja de São Sebastião foi edificada posteriormente, em 1820.

É possível perceber a miscigenação étnica na evolução da região, pois a denominação Araxá é de origem indígena, que significa “lugar onde primeiro se avista o sol” e batizava uma pequena tribo, dizimada pelos caiapós, que dominavam a região.

Os europeus foram responsáveis pela colonização local, ao longo do século XVIII e sua exploração como estância hidromineral, a partir de 1866, com estudos do Dr. Orville Derby, considerando as características vulcânicas da região e a presença de águas para fins terapêuticos.

Os africanos formaram o Quilombo do Ambrósio, um dos maiores das Gerais, também assinalando sua presença e importância.

A presença de tantos povos, com tantas histórias, envolveu a região com mitos, casos e personagens, como D. Beja, moradora das proximidades do Barreiro, suas fontes e lama medicinal.

Aproveitando o potencial terapêutico da lama e das águas, o que gerou um aumento progressivo do turismo, surgiu a iniciativa da construção de um grande empreendimento hoteleiro, assim como ocorrera em outras cidades do país, como Caxambu ou Petrópolis.

Em 1938, no Parque do Barreiro, contando com projeto do arquiteto mineiro Luiz Signorelli, nascido em Cristina, em 1896, segundo diretor da Escola de Arquitetura em Belo Horizonte, responsável por alguns projetos na capital, iniciaram-se as obras do Grande Hotel e Termas de Araxá, que seria inaugurado em 1944, no período do Estado Novo, pelo presidente Getúlio Vargas.

O empreendimento é contemporâneo do conjunto da Pampulha, que também abrigaria um hotel (não construído) e do Quitandinha, em Petrópolis.

O conjunto de proporções monumentais utilizou, em suas fachadas, o repertório neocolonial hispano-americano, muito comum em hotéis do sul dos Estados Unidos. Era popularmente conhecido como estilo missões espanholas, caracterizado pelo predomínio dos cheios sobre vazios, beirais curtos e frontões triangulares.

Suas dimensões impressionam, pois conta com quase trinta metros de altura, até o sótão existente na fachada principal. E cerca de 35.000 m de área construída.

Internamente, seguindo o partido dos grandes hotéis luxuosos, alguns dos quais abrigando cassinos, permanecia o ecletismo do início do século XX, permitindo a adoção de estilos diferentes, porém requintados: clássico, art-nouveau, art-déco, distribuídos pelos salões e quartos suntuosos.

O hotel contava com salões revestidos de mármore de Carrara, lustres da Boêmia e obras de arte. Os apartamentos podem abrigar cerca de 800 hóspedes.

Além do luxo dos salões, cassino e aposentos dos hóspedes, o hotel se integrava às termas de Araxá através de uma galeria suspensa, ornada com afrescos de temas diversos.

As termas apresentavam uma rotunda iluminada por vitrais coloridos, que clareavam o piso circular decorado por uma cabala de oito pontos. Ali os banhistas descansavam, relaxavam e se preparavam para os banhos.

O complexo ainda abriga a mítica fonte Dona Beja, entre pedras vulcânicas, onde uma gruta estilizada protege uma fonte de água radioativa, com propriedades terapêuticas.

A figura de Dona Beja integra as tradições locais, pois se destacou a partir dos primeiros anos do século XIX, como uma mulher à frente dos preconceitos do seu tempo.

A proibição dos jogos de azar pelo presidente Eurico Dutra, em 1946, comprometeu muito a manutenção destes grandiosos estabelecimentos, pois seus cassinos foram fechados de forma abrupta, gerando desemprego em massa e diminuição drástica no número de turistas.

Após anos de decadência, o hotel está sob a responsabilidade do Grupo Hoteleiro Tauá, desde 2010, através de concorrência pública e passou a ser denominado Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá.

Viaje Conosco

Realizada num dos mais belos hotéis do Brasil – Grande Hotel e Thermas de Araxá. A Páscoa Iluminada é um grande evento de som e luz.
4 dias

Comments

comments

Deixe uma resposta:

You don't have permission to register
%d blogueiros gostam disto: